Título: As Perguntas
Autor: Antônio Xerxenesky
Número de páginas: 184
Ano: 2017
Editora: Companhia das Letras

Este livro nos foi cedido como cortesia pela editora Companhia das Letras.

Alina enxerga sombras e vultos desde criança. Doutoranda em história das religiões, especializada em tradições ocultistas e aferrada à racionalidade que tudo ilumina, ela se acostumou a considerar as aparições como simples vestígios de sonhos interrompidos.
Certo dia, um telefonema da delegacia desarruma sua rotina de tédio programado. A polícia suspeita de que uma seita vem causando uma onda de surtos psicóticos em São Paulo. A única pista disponível é um símbolo geométrico desenhado por uma das vítimas. Intrigada e ansiosa para fugir da rotina, Alina decide investigar por conta própria um mistério que a fará questionar os limites entre razão e religião, cultura e crença.
Em 'As perguntas', Antonio Xerxenesky costura o tédio da vida cotidiana com o desconforto do horror em um livro repleto de referências ao universo dos filmes, da música e do ocultismo.
O livro acompanha Alina, uma garota que é formada em história e doutoranda em história das religiões, mas trabalha com edições de vídeos e realmente não é feliz com o que faz. No início da narrativa descobrimos que Alina é assombrada por espíritos desde pequena e ela sempre tinha pesadelos nos quais acordava gritando, mas continuava a ver as assombrações mesmo depois de acordar.

Com uma explicação simplista seu pai fez com que ela parasse de ter medo de espíritos. E até ai tudo bem, uma história estava sendo construída e eu achei que iria amar o livro. Ledo engano. Foi um dos piores do ano para mim.

Após estes ocorridos Alina para de acreditar em espíritos (ou em qualquer outra coisa que não se possa provar a existência). Ela está morando em SP e por causa de sua formação em  história das religiões, uma delegada a consulta procurando saber mais sobre uma seita que estava fazendo algumas pessoas enlouquecerem na cidade. Ela acaba não sendo de grande ajuda, mas se interessa pelo caso... A partir daqui tudo desanda.

O nome do livro não poderia encaixar melhor, já que, ao finaliza-lo só sobraram perguntas. E muitas perguntas! Simplesmente o livro acaba sem explicação nenhuma, sem sentido nenhum, sem sal, pimenta ou açúcar.

A narrativa é bem rápida apesar de ser detalhista e um tanto repetitiva em palavras e nomes, mas não consegui gostar do que estava lendo. O livro fica confuso e sem explicações. Deveria ser exatamente esta a intenção do autor, mas para mim não deu! Eu gosto de chegar ao final e entender o porquê das coisas, de solucionar o mistério e aqui ficou tudo em aberto para o leitor fazer suas suposições.

Eu queria ter gostado, porém não consegui me prender a história, aos personagens, a nada. Creio que pessoas que gostem de um tom mais ocultista e não se importem com mistérios sem explicações possam curtir a narrativa.



7 Comentários

  1. Oi Nina!

    Tudo bem? É terrível quando a narrativa nos deixa confusos! Toda vez que isso acontece não consigo me conectar com a história e, muito menos, com os personagens e isto é algo do qual preciso para aproveitar uma leitura. De verdade me envolver com a trama e personagens é essencial para que eu goste do livro.

    É uma pena que a leitura não tenha sido proveitosa, é sempre ruim quando um livro se mostra uma decepção!

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Que pena que o livro não te agradou, mas cá entre nós, finalizar a leitura com perguntas não esclarecidas e sem sentido é um saco. Até gosto do assunto abordado no livro, mas o minimo que espero de uma história é que ela tenha começo, meio e fim, agora fazer isso sem sentido não rola.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Quando vi esse lançamento fiquei tão curiosa a respeito! Morro de vontade de ler. Por mais que você nao tenha gostado das perguntas deixadas, acho que isso dá margem pra gente criar o nosso próprio final, sabe? Acho isso bacana.

    ResponderExcluir
  4. Olá Nina!!!
    Bem, eu sou bem assombrada então livros que mexam com determinadas coisas me deixam sem dormir então tenho que sempre preparar meu psicológico para algo do tipo.
    A ideia da narrativa é interessante pena que deixa muitas perguntas e pontas soltas.
    Porém, gostei que você foi sincera e dito que não gostou.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem Nina?
    Eu já algumas resenhas desse livro antes, boa parte foram positivas, eu ainda acho que esse livro parece ser legal, eu achei interessante a sua resenha, fiquei bem curioso com a narrativa. Gostei da sua resenha e sinceridade, uma pena que não tenha gostado!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    A premissa de cara não me agradou, apesar de gostar de livros com sobrenatural, suspense e terror. É uma pena quando lemos algo que não curtimos e acho que a trama poderia ter sido melhor elaborada.
    Enfim, gostei da sua opinião.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  7. Ooi,
    A premissa com espíritos já me afastava um pouco da história, agora, terminar tudo sem explicação e muita repetição de palavras á é o suficiente para eu passar reto do livro. Que pena que você se decepcionou tanto!

    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber o que você achou do post!

Categorias