Título: O Último Rei do Rock
Autor: Carlos Maltz
Número de páginas: 374
Ano: 2015
Editora: Belas Letras

Livro cedido em parceria com a editora Belas Letras
Como é viver à sombra de um mito? Ou, pior, de um legítimo rei do rock: John Lennon. Essa é a sina de Juan LMK, que pelos desígnios do acaso nasceu no mesmo dia, hora e hospital onde morria o gênio dos Beatles. Estamos em 2020, e a banda de Juan, a Paralelepípedos do Óbvio, está decadente e vive das migalhas que caem das mesas dos últimos fãs, quando Juan recebe um convite absurdo e inesperado: tornar-se o garoto propaganda de um novo produto que vai mudar a história da humanidade, o primeiro implante nano-neural para a expansão da inteligência. Juan tem a oportunidade de se tornar o que sempre sonhou em segredo: mais famoso do que John Lennon. Em sua estreia na ficção, o baterista e fundador da banda Engenheiros do Hawaii apresenta, com um olhar psicodélico, irônico e revolucionário, personagens forjados de duas matérias-primas distintas, ou “anjos com um diabo dentro”. Qual delas falará mais alto nesta odisseia do rock? Qual delas fará a diferença na sua vida?

Juan LMK nasceu na mesmo dia, horário e local de morte de John Lennon. Mas parece que o brilhantismo desse grande músico, cantor e pacifista genial, que adquiriu fãs e seguidores ao longo de sua carreira, fez Juan sentir raiva e vontade de querer ser ainda maior, mais famoso, mais poderoso e mais influenciável artisticamente do que o ex Beatle.

Para tanto, desde jovem almejou o estrelato, formou várias bandas, seguindo sempre o estilo punk de ser. Ele se sentia orgulhoso de ser um eterno rebelde, protestando através de suas músicas. Porém, percebe que os anos estavam passando, e a partir do ano de 2015 as coisas estavam muito evoluídas, a modernidade havia tomado conta do mundo. Chegou ao ponto de Juan se tocar que todo dinheiro que recebia dos shows eram gastados no SenSoSex (um programa cibernético de garotas de programa) e drogas sintéticas.

Em suma, não estava sendo fácil se tornar um grande astro do rock, mas a proposta bilionária de um empresário tornará possível o que ele sempre sonhou: ser maior do que John Lennon.


Assim, Juan precisará lançar mão de alguns ideais, “se vender” ao estrelato e as táticas de vendas, apenas para ser grandemente famoso. A última invenção da ciência, lançada pela empresa Mangodcorp havia escolhido LMK para o primeiro implante nano-neural, que almeja expandir a inteligência humana, então ele aceita fazer parte dessa empreitada com sua banda Paralelepípedos do Óbvio.

Entretanto, logo no início a banda é obrigada a mudar de nome, ser repaginada, e aos poucos os outros integrantes foram caindo fora. Só acabou ficando Juan no vocal com uma banda de fundo, mas sendo um grande sucesso mundial. Ele consegue o que tanto queria. Estava sendo ouvido em cada canto do mundo.

Só que o sucesso acaba vindo com um preço enorme, e Juan descobrirá com a ajuda de sua empresária Mel Lee, que há muito mais do que apenas dinheiro por trás do implante nano-neural. Através das músicas, em breve seria possível controlar a mente das pessoas.

LMK terá que encontrar então uma maneira de sair dessa com vida, pois se tornou inimigo número da Mangodcorp um após descobrir os seus grandiosos planos.


Confesso que foi difícil iniciar a leitura desse livro. Eu nunca havia lido algo parecido, portanto foi um pouco arrastado no começo. Mas segui em frente com a leitura, e acabou sendo  uma experiência interessante.

Por ser narrado através da visão de Juan LMK, acredito que o autor quis repassar uma linguagem mais real de uma pessoa conversando despreocupadamente, cheia de gírias, palavrões, palavras cortadas/abreviadas, enfim... Uma linguagem mais humana. Detalhe: achei bem parecido com a linguagem de Laranja Mecânica, pois também retrata um universo futurístico, e Anthony Burgees usava gírias e termos diferentes com o personagem Alex e sua gangue.

Às vezes me deparava com breves trechos de músicas, e quando via já estava cantando junto rsrs Quem nunca usou um pedaço de música durante uma conversa, ou mesmo um pensamento? Pois é. Achei o máximo essas partes.

Porém, demorei entender quem era a pessoa com que Juan falava durante quase todo o livro. Primeiro achei que era um psicólogo, e depois uma outra pessoa. Só na metade da história descobri que a segunda opção estava certa. E isso me incomodou bastante, fora que durante os diálogos, não havia travessão para as falas de LMK, então algumas vezes tive que adivinhar quando ele estava falando ou apenas pensando.

Para ser sincera demorei engatar na história, mas quando cheguei à metade até o final acabei gostando. Foi me dando uma agonia, pois apesar dos acontecimentos, não era visível qual seria o desfecho, há bastantes reviravoltas.

Sobre a parte física achei um ótimo trabalho da editora. A capa tem toda relação com a história e a diagramação não incomodou nada, nem quanto ao tipo de papel, nem ao tamanho das letras.

Recomendo para quem gosta do gênero futurístico, com algumas (várias) referências do universo do rock, tanto nacional quanto internacional, e não irá se preocupar com a linguagem “vida loka” de Juan LMK rsrs


Essa é uma leitura do desafio I Dare You.

Um dos temas do mês de Setembro – Autor brasileiro










30 Comentários

  1. Oi
    Infelizmente esse livro não despertou minha curiosidade. Até gosto da temática e tal, mas senti que há muitos gêneros e elementos misturados e isso meio que dificulta a leitura. Sem falar que o fato do livro se arrastar é um ponto que sempre me afasta.
    Mas espero que outras pessoas possam curti.
    Gostei da sinceridade na resenha.
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, flor, que pena.
      Mas obrigada pelo comentário!
      Beijão!

      Excluir
  2. Oie, tudo bom?
    Eu não curto históruas muito futurísticas, porém adoro música! E livros ambientados com música me fascinam facilmente, então eu daria uma chance a leitura ^^ Adorei a capa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jéssica! Espero que goste :)
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão!

      Excluir
  3. Gosto muito da temática, adoro livros com referências, ainda mais quando são de algo que gosto, como rock.
    O bom de livro com reviravoltas é que nos surpreende, em relação a pontuação na escrita, sei bem como é difícil engatar na leitura, aconteceu o mesmo em Ensaio sobre a Cegueira.
    Adorei conhecer o livro.

    Beijos Ana.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! É verdade! Senti isso também em Laranja Mecânica, quando comecei a ler e me perdi nas gírias criadas pelo autor. Mas um dia pretendo retomar a leitura :)
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão!

      Excluir
  4. Realmente pela visão da sinopse o autor consegue repassar muita experiência já pela carreira que tem, mas também vai saber se não é um desejo que ele sempre teve? Legal é que ele mistura música com fantasia.

    Greice
    Blogando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Greici! Senti muitas referências do mundo do rock através da escrita do autor, mesmo não conhecendo muitos cantores e músicas.
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão!

      Excluir
  5. Oi. :)
    Achei a premissa bem interessante, mas no momento estou naquele momento de estórias de época e tá difícil começar qualquer outra leitura rs.
    Adoro qndo misturam rock e bandas no meio de uma estória turbulenta, como essa parece ser.
    Parabéns pela resenha.
    Blog As Meninas Que Leem Livros - Lauri Brandão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Entendo, eu também estou num gênero só e não consigo sair dele rsrs
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão :*

      Excluir
  6. Oi!

    As obras dessa editora são sempre boas! Os temas então *--* pena que não fazem meu tipo de leitura, mas teria as obras só pelas suas capas que são lindas! E com certeza quem gosta do gênero dessa obra terão uma boa leitura!

    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Acho que vi este livro em uma livraria e achei que era a biografia do Lennon.... hahahahahaha Que bom que li sua resenha e desfiz este mal entendido.
    Adorei a resenha e suas fotos ficaram ótimas.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehe
      Normal associar a imagem do John com sua biografia :)
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão :*

      Excluir
  8. Olá,

    É a primeira vez que tenho contato com esse livro, adorei a ideia, ainda mais trazendo essa vibe futuristica misturada com rock. Anotei a dica haha

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Que bom que gostou! Fico feliz :)
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão :*

      Excluir
  9. Oi, Ana!
    Parece uma história bem interessante - e nada parada né? Provavelmente é uma forma bastante original de tratar da ambição humana -- ser maior do que o outro artista e tudo o mais. Acho que ficaria com aflição vendo os diálogos sem travessão ou qualquer outra marca indicativa, então vou guardar a indicação haha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Que bom que gostou! hehe
      Depois de um tempo acabei acostumando e aproveitando melhor a história :)
      Obrigada pelo comentário!
      Beijão :*

      Excluir
  10. Oi Ana,
    Ainda não conhecia esse título, mas não sou muito ligada em livros do gênero. Achei muito legal a questão do ensinamento que nem tudo vem de graça e fiquei bastante intrigada para conhecer essa história melhor, mas não será minha prioridade.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna, que pena.
      Mas obrigada pelo comentário!
      Beijão :*

      Excluir
  11. Oi.
    Sendo bem sincera esse livro não despertou meu interesse.
    Li um livro com um tema parecido recentemente, chama "30 e poucos anos e uma máquina do tempo", também traz muitas referências musicais, especialmente rock, e, assim como esse livro aparentemente, dá uma boa viajada.
    Como você disse, demorei para engatar a leitura mas depois acabei achando interessante e gostando. Mas não a ponto de querer ler algo parecido no momento.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Nunca tinha visto falar desse livro mas achei a proposta muito bacana porque sempre quando um cantor escreve um livro é uma biografia ou crônicas, e adorei ele ter escrito uma ficção com um personagem musico também.
    Fiquei bem empolgada pra ler este livro

    ResponderExcluir
  13. Oii!
    Eu sou muito fã dos Beatles e do John, por isso achei a proposta interessante. Também gosto de livros que tenham uma narrativa diferente, maaas ao ver a sua resenha, me parece que talvez essa narrativa seja solta demais?
    Ainda estou me decidindo sobre esse livro, vou guardar a dica pra mais tarde! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Ana

    Que bom que você acabou gostando apesar do começo um pouquinho complicado. Infelizmente esse não chega nem perto do meu estilo de leitura, por isso não leria.
    Ano passado eu participei do I Dare You e não consegui completar! Hahahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi.

    Não conhecia este livro. Na verdade, ele não faz muito o meu estilo de leituras. Se fosse para comprar pela capa, eu não compraria. Fico feliz que você tenha gostado. Infelizmente passarei a dica dessa vez.

    ResponderExcluir
  16. Oi, ana. Não parece ser meu estilo de leitura, pois não sou muito fã de obras envolvendo rock e nem algo com essa pegada, mas achei que tem uma premissa instigante, com toda essa obsessão do personagem em ser bem sucedido.

    ResponderExcluir
  17. Oiee Ana ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas como gosto de obras futurísticas, pode ser que o leia um dia. Só não sei se o faria agora, pois realmente odeio quando não há travessão ou até mesmo aspas marcando uma fala...haha' me dá nos nervos. Além disso, a premissa não me chamou totalmente a atenção. É aquele tipo de livro que a gente lê se ganhar, mas não compraria *-*
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    Confesso que Rock é o estilo musical que mais ouço na vida, só que nada de rock clássico para mim, gosto de bandas mais atuais e que não são muito conhecidas. Acho esse livro muito interessante, porém não é o tipo de livro que costumo ler e além disso, a obra não despertou muito meu interesse, deixarei a dica passar dessa vez.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Confesso que essa obra não me chamou a atenção, principalmente por ser do gênero futurístico, que eu não curto nada. Mas as referências ao mundo do rock me chama muito a atenção, já que é um dos meus gêneros favoritos. É de fato um livro bem diferente do que estamos acostumados.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Olá!

    Que bacana, eu não conhecia esse livro e adorei poder conferir sua resenha sobre ele. Achei a trama bem bacana e inovadora e fico muito feliz que mesmo tendo sido arrastado no começo, você tenha conseguido continuar e tenha gostado. Obrigada pela dica!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber o que você achou do post!

Categorias