Título: Cidades de Papel
Título Original: Paper Towns
Autor/autora: John Green
Número de Páginas: 368
Ano: 2013
Tradução: Juliana Romeiro
Editora: Intrínseca


O adolescente Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.
 Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo tornou-se um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelindo em direção a um caminho tortuoso quanto mais se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava conhecer.


 Primeiramente, acho que devo ser sincera com vocês. Eu li as primeiras páginas do livro e parei, achei um tanto ou quanto cansativo. Mas quando descobri que o filme seria lançado, decidi retornar a leitura e acabei gostando bastante do livro.




 O livro gira em torno deste amor platônico que Q sente por Margo e de seu desaparecimento. Mas mesmo quando estas situações não estão em evidência o livro não perde sua magia. Os diálogos de Green tem um toque de realidade. Nós conseguimos imaginar pessoas conversando no dia-a-dia daquela maneira. Os personagens falando sobre dar uns amassos, beber, sexo, namoro, enfim através de seus diálogos a história deixa de ser apenas ficção.
 O que me encantou mais em Q foi a sua determinação em achar Margo, a sua vontade de desvendar as pistas deixadas por ela, em alguns momentos fraqueja, mas não desiste de forma alguma.
 "A noite, já em casa, tentei ler Canção de mim mesmo outra vez, mas, apesar do conselho da Dra. Holden, o poema ainda era um emaranhado de palavrões sem sentido."
"Eu tinha trazido o exemplar de Folhas de Relva de Margo e recomecei a ler os trechos marcados de "Canção de mim mesmo" por baixo da mesa" 
 Na minha opinião, o livro começa a ficar bom mesmo quando eles tentam descobrir onde Margo está. Todo aquele suspense, as pistas, os lugares sinistros aos quais decidiram ir para procurá-la, isso tudo foi bem intrigante e agradável de ler. Analisando a obra como um todo, tudo se agrupa de maneira perfeita, incluindo, até mesmo, a parte cansativa do começo. O livro me envolveu de maneira impressionante. Espero que gostem.
P.S: Este livro já tem um adaptação cinematográfica, estrelada por Cara Delavigne e Nat Wolff.








3 Comentários

  1. Oi!
    Quero muito ver o filme, e aí depois se gostar, ler o livro, haha. Gosto muito do John Green! Sua resenha ficou bem legal ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi *.*
      Muito obrigada ;) Espero que goste dos dois, apesar de que ouvi dizer, não sei se é verdade, que o final do filme é diferente do livro.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber o que você achou do post!

Categorias