Título: A Garota Americana (vol.1)
Original: All American Girl
Autora: Meg Cabot
Número de páginas: 352
Ano: 2009
Tradução: Ana Ban
Editora: Record

Samantha Madison é uma adolescente normal como qualquer outra... Pelo menos como ser humano, porque desde seu estilo de ser, até o fato que de sabe desenhar como ninguém já são características suficientes para que ela não seja totalmente como qualquer outra garota.

Ela já tem várias razões para estar encrencada:
- Se inscreveu para fazer aulas de alemão e tirou notas baixas;
- Começou a vender seus desenhos na escola e por isso está indo mal em alemão;
- Foi castigada pelos motivos anteriores;
- O castigo é fazer aulas de desenho, e isso pode estragar sua criatividade e liberdade de expressão;
- Sua irmã mais nova é uma superdotada;
- Sua irmã mais velha (Lucy) é uma das garotas mais populares da escola;
- Está apaixonada pelo namorado de Lucy;
E para piorar totalmente a situação:
- Ela salva o presidente dos Estados Unidos de assassinato e recebe o cargo de embaixadora teen da ONU.
A partir desse acontecimento, Samantha se torna uma celebridade nacional e acaba conquistando o coração do primeiro-filho. E embora o garoto seja bonito, ela ainda não desiste de acreditar que o namorado de sua irmã é apaixonado por ela secretamente.
Entre vários acontecimentos e situações engraçadas, Meg Cabot consegue nos envolver em uma leitura cativante e divertida. O livro é realmente adorável, pois você não consegue parar de ler e sente uma vontade enorme em saber o que vai acontecer em cada página.
Os personagens possuem muita personalidade, principalmente a nossa Sam, que é irreverente, rebelde e criativa. Ela simplesmente ADORA o estilo musical ska, mais precisamente a banda No Doubt e a vocalista Gwen Stefani. Confesso que ela me irritou muito, mas as relações amor-ódio entre leitor e personagem sempre acontecem desde que existem livros, e neste caso não é diferente. Que atire o primeiro livro quem nunca sentiu vontade de entrar na história, dar uns tapas em alguns indivíduos e dizer “Hei, você está agindo como idiota!”.

Mas fora uma irritaçãozinha ou outra, eu adorei a leitura! Espero que possam compartilhar da mesma opinião que a minha e para quem não conhece ainda: aventure-se e conheça mais essa obra da Meg!


Capas pelo mundo:


















2 Comentários

  1. Olá, temos opiniões bem diferentes em relação á esse livro, hein?! rs.
    Adorei a expressão "que atire o primeiro livro", hihi :3
    Beijos,
    http://lendocomabianca.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca! É verdade! Discordamos completamente. rsrs
      É difícil eu gostar de personagens femininos e adolescentes. O que eu gostei da Sam, na verdade, era mais o estilo que ela veste, as bandas que ela ouve, e o fato de ela saber desenhar (coisa que eu gostaria de saber fazer)... Enfim... Se esse foi o pior livro que a Meg escreveu, então mal posso esperar para ler outros *-* haha
      Beijos

      Excluir

Adoraríamos saber o que você achou do post!