Titulo: Opúsculo – a paródia
Original: Nightlight – a parody
Autor: revista satírica The Harvard Lampoon*
Número de Páginas: 142
Ano: 2010
Tradução: Grace Khawali
Editora: Novo Século

O livro conta a história de amor entre Belle Goose e o misterioso Edwart Mullen. Semelhante a história original (Crepúsculo), com alguns nomes de personagens, lugares e objetos diferentes, que acabam dando um pouco de humor à trama.

Belle é obcecada por vampiros e é totalmente diferente da Bella da saga Crepúsculo. Nada tímida se mostra uma garota exibida e nem um pouco humilde.
 Enquanto isso a versão de Edward é hipocondríaca e tem medo de garotas.

“Foi então que o vi. Ele estava sentado atrás de uma mesa, totalmente concentrado, nem mesmo comia. Tinha uma bandeja inteira de batatas assadas à sua frente e, mesmo assim, não havia tocado em nenhuma. Como poderia um ser humano ser capaz de resistir a um prato de batatas assadas? Ainda mais estranho, ele não havia me notado, Belle Goose, futura ganhadora de um Oscar... [...]”



Há muitas partes parecidas com a história original, mas há partes em que muda o foco totalmente. Belle inclusive conhece outro garoto (e não é a versão do Jacob, nem de outro personagem de Crepúsculo) e mudará o rumo da versão real.
Alguns trechos são engraçados (em minha opinião). Entretanto, em alguns momentos do enredo, o humor é forçado. Por esta razão, a leitura poderá se tornar um pouco cansativa. E mesmo sabendo disso, recomendo o livro, pois o final é diferente do esperado.
Confesso que esperava mais... (realmente) Mas não desanimei porque trata-se de uma leitura rápida.
Minha parte preferida é quando Belle menciona o nome de Jane Austen (minha escritora favorita). Só não vou citar aqui, senão perde a graça! Haha

*A publicação Harvard Lampoon foi fundada em 1876 por sete alunos da Universidade de Harvard em Cambridge, Massachusetts, que foram inspirados em revistas populares como Soco (1841) e Puck (1871).

“Surpreendeu o campus de Harvad logo em seu número de lançamento. O presidente norte-americano Ulysses S. Grant foi aconselhado a não ler a revista porque não conseguiria parar de rir o suficiente para ter condições de governar.”



2 Comentários

  1. Eu já tinha ouvido falar nesse livro. Acho que eu leria apenas porque é uma paródia de Crepúsculo. Ok, eu não gosto de Crepúsculo, então acredito que eu acharia muita graça no livro.

    http://refugiorustico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria!
      Eu li por esta razão também... Espero que goste mesmo.

      Beijo

      Excluir

Adoraríamos saber o que você achou do post!

Categorias