Título: A Filha do Ferro (Encantados do Ferro #2)
Original: Iron Daughter 
Número de páginas: 352
Ano: 2011
Editora: Underworld


Meio princesa encantada de Verão, meio humana. Meghan nunca se encaixou em lugar nenhum. Abandonada pelo príncipe de Inverno que ela acreditava amá- la, agora é prisioneira da rainha encantada de Inverno. Com a guerra iminente entre Verão e Inverno, Meghan sabe que o verdadeiro perigo vem dos encantados de Ferro - encantados cujo organismo contém ferro e que só ela e seu príncipe ausente chegaram a ver. Mas ninguém acredita em Meghan. Pior, os poderes de encantada de Meghan foram bloqueados. Ela está presa em Faery e só pode contar com os próprios recursos. Confiar em alguém seria tolice. Confiar em um possível traidor poderia ser fatal. Mas, mesmo enquanto desenvolve uma resistência de ferro, Meghan não pode ignorar os sussurros da saudade em seu coração humano.
CUIDADO! PODE CONTER SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO!

|   O REI DO FERRO   |

Este livro começa pouco tempo depois dos acontecimentos de O Rei do Ferro. Meghan conseguiu resgatar seu irmão com a ajuda do príncipe Winter, Ash, e acabou se apaixonando por ele no processo, mesmo sabendo que a relação entre membros da corte Summer e Winter eram extremamente proibidos. Agora Meghan é prisioneira na corte Winter, já que para resgatar se irmão ela fez um acordo com Ash, e era chegada a hora de cumpri-lo.


Olá, pessoal! Tudo bem?

Como estão se saindo nas metas literárias de vocês?

Eu, em questão de leituras, estou  em dia, mas tem algumas que não consegui fazer resenha ainda e acabei me atrasando com o desafio 12 Meses de Poe. Então é por isso que só agora consegui para comentar sobre os textos do mês de abril.


Desde a infância eu tenho sido
Diferente d'outros – tenho visto
D'outro modo – minhas paixões
Tinham uma outra fonte e
Minhas mágoas outra origem –

No mesmo tom não despertava
O meu coração para a alegria -
O que amei – eu amei só.

Então – na infância – a aurora
Da vida atormentada – estava
Em cada nicho de bem e mal

O mistério que me prendia -
Da correnteza, da fonte -
Da escarpas rubras do monte -
Do sol que me rodeava
Em pleno outono dourado -
Do relâmpago nos céus
Quando sobre mim passava -
Do trovão, da tormenta -
E a nuvem tem a forma
(Quando o resto do céu é azul)
D'um demônio aos meus olhos.*

(Edgar Allan Poe)

Título: A Aventura sem Paralelo de um Tal Hans Pfaall
Original: The Unparalleled Adventure of One Hans Pfaall
Autor: Edgar Allan Poe
Número de páginas: 21
Ano: 1835
Tradução: Fonte não localizada

Conto disponibilizado pelo desafio literário #12mesesdepoe (criado pelo blog Anna Costa) para o mês de abril. 




A história começa com um evento estranho na cidade de Roterdão, pois um balão feito apenas de jornais velhos aparece descendo o céu carregando um tripulante minúsculo de vestes extravagantes.

O homenzinho chega ao local portando uma carta destinada ao presidente e vice presidente do Colégio Nacional Astronômico da Cidade de Roterdão, com remetente de Hans Pfaall, um antigo morador daquela cidade e que havia desaparecido há alguns anos. A carta relatava tudo o que havia com Pfaall durante todo esse tempo de sumiço.

Pouco antes de deixar a cidade, ele conta que estava quase em estado de falência na sua fábrica de foles, alguns credores aos quais devia dinheiro ficavam insistindo em lhe cobrar dívidas. Cansado com essa situação, Pfaal vai à biblioteca e se lança no primeiro livro que encontra, um livro de astronomia.  O interesse pelo assunto foi tão grande que ele resolveu de aprofundar nas pesquisar e construir um balão que seria capaz de o levar até a Lua.

A narração de Pfaal vai descrevendo tão minuciosamente como foi a produção do balão, a forma como ele media a velocidade e temperatura do ar, o jeito que fez para respirar fora da atmosfera da Terra, e entre outros termos técnicos da física e da engenharia, que fica difícil duvidar das palavras dele.

Oi, meus queridos! Tudo bem? Como está o final de semana?

Hoje é dia de capas temáticas! Adoro essa parte do blog onde a gente pode "julgar pela capa" rsrs...

Como essa semana eu ganhei um livro lindo do Stephen King, me inspirei na sua capa para escolher o tema borboletas.

Às vezes (e no meu caso é sempre rs) é difícil selecionar apenas algumas capas, mas tentei peneirar as nove que mais me chamaram a atenção:


A primeira capa é do livro maravilhoso que recebi como cortesia da Companhia das Letras. O Bazar dos Sonhos Ruins já tinha despertado meu interesse logo que foi lançado, então óbvio que adorei a surpresa *-*
O Canto mais Escuro da Floresta eu descobri ao assistir a um vídeo de um blog literário (não lembro qual), mas lembro que a blogueira havia comentado que tinha medo de borboletas (rsrs), mas que a capa dele era muito linda. Concordo plenamente com ela. Esse lançamento da Galera deve ficar lindo na estante.
E Diário de uma Escrava conheci também em outro blog, mas a resenha me deixou um pouco assustada. A capa dele é bem bonita. Quando abre ele com a capa voltada para cima forma a borboleta inteira. E fora que as publicações da Darkside são um luxo, né?
Essas três capas são de livros que foram lançados esse ano ou no final do ano passado.

Se tem uma série que me marcou e ficará para sempre no meu coração, esta é A Seleção. Por mais que eu não tenha gostado muito do último livro da saga da América (A Escolha) eu nunca esquecerei esta história.
Já fiz os quotes do primeiro livro (que podem ser conferidos aqui) e hoje estou trazendo alguns do segundo! Se alguém me pede um livro indicado, eu com certeza aponto para A Seleção.


"Não era como se minha presença fizesse o mundo dele mais feliz. A Sensação que eu tinha era de ser o mundo dele. Não havia explosões. Não havia fogos de artifício. Era uma chama lenta, queimando de dentro para fora."
"Como quando eu penso que eu entendo o que está acontecendo comigo, e então algo muda, e os meus sentimentos mudam."