Olá galerinha!

Trago boas noticias para os fãs do livro Jogador N° 1. O trailer oficial do longa baseado na obra de Ernest Cline acabou de sair e olha, parecer estar muito bom!

Já no trailer podemos perceber várias referencias a cultura pop, o que deixou os fãs em alvoroço total!


Oi, gente! Tudo bem? Espero que sim :)

Para quem está chegando agora ainda não sabe que tenho uma admiração enorme pelas obras de Stephen King. Não sei o que esse homem faz que consegue viciar logo nas primeiras páginas! E não é só isso... Ele escreve com uma rapidez impressionante. Só esse ano publicou duas obras (e não são quaisquer obras, são dois calhamaços!). 

Mas vamos falar das adaptações! As histórias são tão envolventes, que a cada passo vemos alguma nova adaptação surgindo por aí. Esse ano tivemos A Torre Negra e o remake de It: A Coisa no cinema, e Jogo Perigoso, 1922, Mr Mercedes e O Nevoeiro viraram filmes e séries produzidos pela Netflix. 

E como ninguém consegue parar esse cara, as adaptações continuam para os próximos anos. Alguns já tem data marcada para estrear, e outros ainda não foram confirmados, mas as informações já bastam para nos deixar bem empolgados rsrs.

 Confiram:

FILMES


A Dança da Morte (em desenvolvimento)*

Tido por muitos como a maior obra-prima de Stephen King, A Dança da Morte já foi adaptado como minissérie televisiva em 1994 e agora chegará como filme pelas mãos também de Josh Boone. Devido ao seu grande número de páginas (mais de 800) e a suas múltiplas histórias paralelas, o romance é considerado muito difícil de adaptar. Mas, aparentemente, Boone comprou o desafio e, se ele se sair bem, é muito provável que a história vire uma franquia.

O projeto está pausado enquanto Boone trabalha no filme dos Novos Mutantes, que estreia em 2018, e no Revival.


O Cemitério/Cemitério Maldito (previsto para abril de 2019)

A Paramount anunciou em outubro desse ano que uma nova adaptação do livro “O Cemitério”, de Stephen King, está sendo feita. A dupla de diretores Kevin Kolsch e Dennis Widmyer, diretores do filme de terror Starry Eyes, vão comandar a nova adaptação.

Em 1989 o livro ganhou uma adaptação para os cinemas com o título “Cemitério Maldito” e com a direção de Mary Lambert, que hoje comanda a série Blacklist.

No livro, um médico de Chicago se muda para uma ótima casa em Maine, mas essa residencia fica logo ao lado de um cemitério onde crianças de várias gerações enterravam seus animais. Mas o que a família não sabe é que o cemitério vizinho tem poderes místicos que podem trazer os animais de volta a vida.


Colheita Maldita (previsto para 2018)

Para quem não sabe, Colheita Maldita original, de 1984, já teve oito sequências, sendo que as sete últimas foram direto para VHS e DVD. O novo filme, cujo título original é Children of The Corn: Revival, também não passará nos cinemas, o que já é um indicativo de sua qualidade. O roteiro é de Joel Soisson, que também escreveu o último filme, Gênesis (2011).

A história é baseada em um conto de Stephen King com o mesmo nome. Na trama, uma mulher grávida foge do famoso culto de crianças que gostam de assassinar adultos. Dez anos depois, ela volta a ser perseguida pelo culto e precisa confrontar o mal para salvar seu filho.


Doutor Sono (em desenvolvimento)

O próprio Stephen King será produtor executivo deste longa-metragem, porém o roteiro é de Akiva Goldsman, responsável por A Torre Negra (que não foi muito bem recebido pelo público),A Quinta Onda, O Chamado 3, Atividade Paranormal 2, 3 e 4 e outros.

A obra (resenha aqui) é uma sequência de O Iluminado e nos reapresenta Danny Torrance anos depois, quando ele já está adulto e tentando se livrar do alcoolismo. Quando uma nova ameaça surge, os poderes de Danny como iluminado se tornam novamente necessários.


Título: O Papai é Pop em Quadrinhos (vol.2)
Autor: Marcos Piangers e Gleison P. Olivo
Arte, cores e letras: Paulo Brancher Filho e Mekitar Brancher
Número de páginas: 98
Ano: 2017
Editora: Belas Letras

(Livro cedido em parceria com a editora Belas Letras)
Preparado para curtir mais aventuras em família? Esta edição traz HQs baseadas nas histórias de Marcos Piangers, de O papai é pop, além de uma história inédita. Aqui você vai se divertir e se comover com acontecimentos cotidianos que tornam incrível o dia a dia em família, afinal são os fatos simples que fazem com que a vida seja tão emocionante para pais e filhos.

Coisas simples, como a ideia de comprar um carro novo, ou a fase de desapego da chupeta, ou as peripécias da Aurora, seu amor por doces e pavor por banhos são alguns exemplos de como é a vida de Marcos Piangers e sua família.


Aqui você irá encontrar as divertidas histórias de uma menina que quer casar para poder mandar em alguém, que conta ao pai que o Papai Noel não existe, que sonha em desenhar uma mulher para colocar no semáforo para pedestres, e pesquisa no "gugou" como fazer um mundo "melior".

Há também uma maluquinha por doces e chocolates que tenta trocar seu urso de dormir por uma lata de Nescau. Essa mesma fofura acredita que o Beleléu é um monstro que rouba brinquedos de crianças que não arrumam a bagunça depois de brincar.

Para elas o seu pai é um herói, e para ele não há nada mais incrível do que ser o herói de suas filhas.

Título: Perdidos na Tradução
Autor: Iuri Abreu
Número de páginas: 288
Ano: 2013
Editora: Belas Letras

Este livro foi cedido pela editora parceira Belas Letras.
Um título de filme mal traduzido tem o poder de amaldiçoar um perfeito romance e de provocar gargalhadas em um típico dramalhão. Não é preciso muita intimidade com a língua inglesa para perceber que as traduções para o português de muitos títulos do cinema americano não são nem um pouco fieis ou coerentes com os originais. Este livro é uma seleção de pérolas divertidamente comentadas pelo professor e tradutor Iuri Abreu. Aqui você vai perceber que, com a ajuda de um tradutor metido a poeta, todo filme pode virar uma comédia.

Perdidos na tradução é um almanaque do mundo dos filmes onde somos levados de títulos desde 1936 até 2013 e somos convidados a fazer um passeio por entre os títulos originais e as traduções que foram feitas nas nossas terras, assim como dos nossos irmãos portugueses.

O foco do livro e simples, mostrar as dificuldades e a beleza de tornar um título em inglês em algo memorável, fácil de decorar, bonito e que ainda faça sentido com o filme. Bem, não é lá tarefa das mais fáceis e nem sempre é atingida com perfeição, já que muitas vezes ou a tradução literal não fica bem na nossa língua, ou a escolha da tradução fica tão distante da original que nem se quer parece se tratar do mesmo filme.

Título: A Carta Roubada
Original: The Purloined Letter
Autor: Edgar Allan Poe
Número de páginas: 11
Ano: 1844
Tradução: Fonte não localizada

Conto disponibilizado pelo desafio literário #12mesesdepoe 2017 (criado pelo blog Anna Costa) para o mês de novembro.
Em A carta roubada, o investigador Chevalier Auguste Dupin precisa decifrar um mistério: quem teria roubado a valiosa carta do ministro D.? Intrigas políticas e alta sociedade, um ministro ladrão, um policial incansável e um investigador que sabe raciocinar com uma lógica diferente são os personagens desta clássica obra de Edgar Allan Poe.

Após a resolução d’Os Assassinatos na Rua Morgue  e das brilhantes deduções com O Mistério de Marie Rogêt o detetive Auguste Dupin recebe mais um caso para resolver. Desta vez, o delegado Monsenhor G procura por sua ajuda para solucionar o roubo de uma carta.

Segundo o delegado, a carta pertencia a uma dama conhecida, e as informações que nela continham eram bastante comprometedoras. E se o ladrão, que já era conhecido pela senhora, fosse intimado pelo roubo, poderia entregá-la a público, portanto era necessário recuperar a carta sem que ele descobrisse.

Aconselhado por Dupin, o Monsenhor G. revista a residência do ladrão da carta, mas sem sucesso. Por essa razão retorna ao detetive e oferece dinheiro para quem lhe ajudasse a solucionar o caso.

Assim, Dupin arma um plano e recupera a carta através de uma dedução incrível...

Categorias